No Mundo do Rock

No pique

Tarja Turunen aproveita a extensão da turnê do último álbum para gravar o primeiro DVD ao vivo de sua carreira solo; shows no Brasil acontecem nesta semana. Fotos: Paul Harries/Divulgação (1) e Luciano Oliveira (2).

Tarja Turunen acaba de gravar os shows da Argentina para o primeiro DVD de sua carreira solo

Tarja Turunen acaba de gravar os shows da Argentina para o primeiro DVD de sua carreira solo

Um ano depois de passar pelo Brasil com a turnê do álbum “White Lies Beneath” (veja como foi no Rio), lançado em 2010, Tarja Turunen está de volta ao Brasil, na turnê que arremata o álbum, e na qual ela está gravando as imagens para o lançamento de seu primeiro DVD como artista solo. A chamada “WLB Final Tour” começa nesta quarta o trecho brasileiro, em Porto Alegre. Depois, passa por São Paulo, na quinta, e termina no Rio, em pleno domingo de Páscoa; veja os detalhes aqui.

De um ano para o outro, o repertório dos shows não mudou tanto assim – são só dois discos solo -, mas Tarja promete acrescentar músicas não tocadas antes e até inéditas, que ela pretende incluir no próximo disco, cujas gravações começam ainda este ano. Na banda de apoio, novidades: sai o baixista Doug Wimbish e entra Kevin Chown; e Julian Barrett dá lugar ao guitarrista Alex Scholpp. Completam o grupo Christian Kretschmar (teclados e guitarra), Mike Terrana (bateria) e Max Lilja (violoncello), que vieram ao Brasil no ano passado.

Nesses 12 meses muita coisa aconteceu para Tarja. Ela iniciou dois projetos paralelos de música erudita (um deles, o Harus, com disco lançado no Brasil); participou como convidada de uma desastrada performance do Angra no Rock In Rio (embora tenha saído ilesa); e ainda mostrou música nova em um evento finlandês em homenagem ao escritor Paulo Coelho… Opa! Paulo Coelho?

Nessa entrevista exclusiva Tarja fala sobre tudo isso e até sobre o Nightwish (ou quase). Confira o papo, por e-mail, uma vez que a equipe da soprano só a deixa falar ao telefone – cada uma - com veículos impressos:

Rock em Geral: Essa é a segunda vez que você vem tocar no Brasil, na mesma turnê, do mesmo álbum. O que teremos de diferente em relação aos shows do ano passado?

Tarja Turunen: Eu tenho trabalhado no meu primeiro DVD ao vivo que vai ser filmado em poucos dias, na Argentina, e por isso o repertorio dos shows é bem especial dessa vez. (A gravação dos shows aconteceu na semana passada). Vamos tocar músicas dos meus dois álbuns, algumas coisas especiais e até algumas músicas novas do próximo disco, no qual eu já estou trabalhando.

REG: Sobre esse novo álbum, a ideia é entrar em estúdio ainda este ano? Pode adiantar mais detalhes?

Tarja: A produção vai começar em junho com a gravação das baterias e guitarras. Vou me concentrar em compor o material novo imediatamente após o final dessa longa turnê, embora já existam muitas músicas já compostas, prontinhas.

REG: Você tocou com o Angra no Rock In Rio, no ano passado. Todos sabemos que vocês tiveram grandes problemas com os equipamentos de som. O que você pode dizer dessa experiência?

Tarja: Não é bom termos esse tipo de coisa ruim acontecendo quando você sabe de antemão que o evento é importante e quer fazer o seu melhor, independentemente do que aconteça. Não teve nada a ver com a banda, se a equipe do festival simplesmente não teve como passar o som com eles. A banda não pode ter um tempo para fazer a passagem e isso acabou acontecendo e pleno show, ao menos para mim. Isso só te deixa muito frustrado, porque não há nada que você possa fazer para resolver. De qualquer forma, me diverti com a banda e com o público brasileiro. Parecia que eles estavam me esperando! Foi incrível ver e sentir o amor e o apoio deles. Só tenho boas memórias daquela noite.

REG: Depois disso, você acha que ficou mais fácil você ser convidada para tocar em outras edições do festival, com sua banda, no palco principal?

Tarja: Eu definitivamente adoraria um dia fazer parte do Rock In Rio com a minha banda. Seria a realização de um sonho!

REG: Falando sobre o Harus, você acha que os seus fás estão gostando desse seu “outro lado”?

Tarja: O Harus é algo totalmente diferente porque é uma formação erudita e não tem nada a ver com o rock. Meus fãs são completamente conscientes da minha história na música clássica, isso nunca foi segredo. E quero cada vez mais trabalhar com o Harus ou outro projeto similar no futuro. Sou uma cantora treinada no meio clássico e quero desenvolver minha voz mais no canto lírico, porque, quando vou bem nesse meio, isso me ajuda a cantar rock melhor também. Meus fãs têm viajado por todo o mundo para ver o Harus ou meus outros shows de música erudita, então acho que eles realmente gostam desse tipo de projeto.

REG: É verdade que você compôs uma música inspirada num livro escrito pelo Paulo Coelho?

Tarja: O “Outlanders” é o meu projeto com Torsten Stenzel (músico alemão) e a música chamada “Outlanders” é a primeira que eu compus para esse duo. Tive contato com o Paulo Coelho através da editora dele, para quem eu pedi a permissão para usar trechos dos textos dele na minha música. Depois os editores finlandeses do Paulo Coelho me contataram para participar de um evento importante sobre ele em Helsinki. Eu decidi tocar essa música lá. Eu li todos os livros do Paulo e ele tem sido a minha maior inspiração para escrever minhas letras.

REG: Você já ouviu o novo álbum do Nightwish, “Imaginaerum”?

Tarja: Não, não ouvi.

REG: Você acha que eles mudaram muito desde a sua saída?

Tarja: Eu realmente não prestei muita atenção. Desejo o melhor para eles.

REG: Você retomou contato com os caras da nada, ou vocês continuam sem e falar?

Tarja: Não estamos em contato.

A eterna ex-vocalista do Nightwish detonando geral no do Rio de Janeiro, em março do ano passado

A eterna ex-vocalista do Nightwish detonando geral no do Rio de Janeiro, em março do ano passado

Tags desse texto:

Comentários enviados

Existem 7 comentários nesse texto.
  1. Gabriel Vieira Mostaro em abril 2, 2012 às 18:22
    #1

    Eterna ex-vocalista do Nightwish? Que mau gosto!

  2. Kijria em abril 2, 2012 às 22:26
    #2

    Cara… Tarja é Tarja…. não dá pra ficar sempre jogando na cara dela essa novela que foi o Nightwish…
    Mas acho que ela deveria ter escutado “Imaginaerum” ao menos por um ponto de vista musical, o CD é muito bom! Seria ao menos uma demonstração de respeito…

  3. andrea em abril 3, 2012 às 9:18
    #3

    There are some little mistakes in the introduction: Doug Wimbish and Julian Barrett did NOT replace Kevin Chown (not Chrown) and Alex Scholpp; they play together. And Christian Kretschmar does not play keys and guitar but keys and cello, during the acoustic set.

  4. Marcos Bragatto em abril 3, 2012 às 10:04
    #4

    Sorry, Andrea, but it was exactly what Tarja told in the interview. I think you do not understand portuguese very well… So, let’s see what happens on the stage.

  5. Darkness em abril 3, 2012 às 16:28
    #5

    Toda a polêmica com a banda foi obscura. Ninguém pode dizer ao certo se o que Toumas disse na carta aberta foi mesmo verdade. A Tarja, pelo que já vi em vídeos, e no show que eu fui ano passado, é uma pessoa normal, que respeita e adora o público. Ela não ouviu o álbum provavelmente porque não quer nada relativo à banda na vida dela… Isso é normal, considerando o modo como ela foi demitida da banda que ajudou a criar.

    Pelo amor que ela demonstra pelo público, é difícil imaginar que ela tenha tentado cancelar shows para ir ao cinema, como o Nightwish afirmou…

  6. DARLAN em abril 4, 2012 às 23:01
    #6

    Perfeita!

  7. Daniel Coelho em abril 8, 2012 às 10:35
    #7

    Nightwish, a eterna ex-banda de Tarja Turunen.

Deixe o seu comentário

Seu email não será divulgado